Dica Referencial - 12 Dicas para Ferrageamento


12 Dicas para FerrageamentoUm bom ferrageamento pode evitar diversos problemas de saúde em um cavalo.Portanto é de extrema importância que este serviço seja executado com frequencia por um profissional qualificado.

 

DICAS

1 Com alguém puxando o animal observe os movimentos, antes do ferrador iniciar o casqueamento.Deve-se observar como os cascos interferem uns nos outros, se o cavalo písa no solo de modo plano ou se uma parte do casco toca o solo antes do resto;

2 Após retirar a ferradura velha, será iniciado o casqueamento dos quartos para a pinça, evitando um erro muito comum de casquear excessivamente a região do talão.

3 A ranilha deve permanecer em certo grau de contato com o solo, para auxiliar no bombeamento de sangue no casco.Ela deve ser cortada e aberta apenas o bastante para remover tecido que está morto,especialmente nas beiradas e no sulco central,porem não diminuida.Uma ranilha constantemente cortada em excesso tenderá a encolher e endurecer,podendo originar o encastelamento dos cascos;

4 A sola não deve ser demasiadamente afinada. tal como na ranilha, deve-se remover apenas as áreas necrosadas ou danificadas, o suficiente para deixar a sola lisa e de altura uniforme;

5 A linha formada pela quartela deve estar paralela em relação ás linhas do casco ( pinça e talão);

6 A ferradura deve ser adaptada ao casco e nunca o contrário;

7 O ferreiro deve deixar uma sobra lateral da ferradura em relação à parede do casco, para evitar incidência de pressão do solo sobre a parede;

8 Do mesmo modo, a ferradura deve passar um pouco do comprimento dos talões, isto evitará que os mesmos sejam forçados excessivamente, previnindo o achinelamento.Também protegerá os tendões de pressão excessiva;

9 Os cravos devem ser colocados dos quartos para pinça,nunca atrás desta linha.Cravos muito perto da área dos talões podem causar manqueira;

10 Os cravos devem estar sempre na mesma linha de altura;

11 O correto é sempre utilizar o jacaré ( pinça especial ) ao apertar os cravos,seja na primeira aplicação da ferradura,seja para reapertar a ferradura depois de algumas semanas;

12 Quando passar a grosa para acabamento, o ferreiro deverá evitar a área próxima a coroa. Grosar o casco recém formado levaria a um afinamento e enfraquecimento progressivo de toda parede do casco, o que seria prejudicial ao animal;

  Após o término do processo, lembre-se de voltar a observar a movimentação do animal tal qual foi feito no início.Desta forma é possível observar se os problemas originais foram corrigidos, ou pelo menos atenuados.Jamais deve-se pretender corrigir problemas de aprumo ou de apoio de modo imediato e total, sempre de maneira progressiva.Este é sempre um trabalho para ser realizado a médio e longo prazo, e acompanhado do ferreiro, bem como a sua atenção às observações do cavaleiro são essenciais na obtenção de um resultado positivo.


Fonte: Referencial C.E